sábado, 24 de julho de 2010

ATLETAS A CORRER DESCALÇAS


Por EVB
.
Zola Budd, nasceu em 26 de maio de 1966 em Bloemfontein, África do Sul. Tornou-se mundialmente conhecida por correr descalça, e mesmo assim, conseguiu atingir o topo da competição no Atletismo, com recordes mundiais nos 5000m (1985) e nos 3000m (em pista coberta) (1986).
.
Por nascer no país do Apartheid - a política racista e de segregação social, teve a carreira prejudicada e alguns recordes não reconhecidos e impossibilitada de participar, pelo seu país de nascimento, nos Jogos Olímpicos (Los Angeles).
.
Todavia, em 1984, pouco tempo depois de conseguir o melhor tempo de sempre nos 5000 m, mas não reconhecido pela IAAF pelas razões apontadas, foi convencida a representar a Grã-Bretanha, ao tempo com governado por ultra direita, cujo PM era Margaret Thatcher, sendo para isso naturalizada em tempo recorde, o que gerou grande controvérsia, por tal naturalização ter sido considerada ilegal por muitos, e também pelo que representou de apoio encapotado de Thatcher à política racista da África do Sul.
.
A atleta foi todavia infeliz na sua participação nos Jogos, estando envolvida numa queda célebre, em plena final dos 5000m, que afastou a favorita, a norte-americana, Mary Decker, embora não parecesse culpada de qualquer falta a comunicação social norte-americana julgou-a sumariamente.
.
Com o derrube do regime do Apartheid, Zola Budd voltou às origens e nos Jogos Olímpicos de Barcelona, 1992, pode finalmente representar a sua pátria, a República da África do Sul, então já com um regime político democrático e sob a presidência do herói nacional, Nelson Mandela, do ANC e com a participação do Partido Comunista no governo.
.
Embora Zola tivesse conseguido ainda o segundo melhor tempo do ano (1992), a sua carreira estava perto do fim e não conseguiu a medalha tão desejada, passando ao lado de uma grande carreira, por ter tido a infelicidade de ter nascido na África do Sul do Apartheid. Manteve até ao fim a sua imagem de marca – correr descalça. Supõe-se que, já mãe de três filhas, e vivendo no seu país, a atleta ainda continue a correr por puro prazer, como o fazem alguns grandes atletas. Mas provavelmente já não descalça… já que as vantagens de correr descalço para o corpo humano só existem, obviamente, em determinadas condições de piso e andamento.
.
Não sei se a jovem que filmámos na VIª Odivelas-Loures-Odivelas, em 19-Jan-1986, prova ganha nesse ano por Renato Graça e Rita Borralho, duas das grandes figuras desportivas da época (e por quem continuamos a ter grande admiração, nas suas actividades profissionais), teria querido imitar a campeã sul-africana ou apenas estaria habituada a correr (e talvez a andar) descalça. Mas correr 18 km em piso duro, de alcatrão, não foi decerto tarefa fácil. Espero que não tenha deixado sequelas.
.
Nota: Nos dois últimos dois números da Revista Spiridon (189 e 190) poderão ler o excelente artigo da Dra. Nancy Davies CORRER DESCALÇO... UMA OPÇÃO ESTRANHA?

video

2 comentários:

  1. Atleta que se supera não só no seu esporte mas também na vida...
    tendo de superar o racismo no próprio país e nao ver seus feitos serem reconhecidos...
    Uma pena...
    É muito interessante o fato dela correr descalça...
    Vi muitas repostágens positivas sobre a prática, mas não consigo...
    Boa semana
    Bjinhos

    ps. Usei um texto seu no meu blog, espero que não se importe...

    Ju

    ResponderEliminar
  2. Ai... se eu corresse assim nunca mais andava....

    Grande mérito a todos os níveis!

    ResponderEliminar