domingo, 30 de junho de 2013

UMA HORINHA!

Têm sido meses de treinos (ou melhor corridas que treino é outra coisa) irregulares.
Vária peças empenadas num esqueleto muito perto de gripar tem-se traduzido num ano muito mau comparativamente ao bom ano de 2012.
Mas lá se tem corrido porque tal é fundamental, tanto para o bem-estar físico, como para o bem-estar psíquico (sobretudo para este último).
Nestes tempos cinzentos, tristes e opressores, é às nossas corridinhas que se vai buscar um pouco de paz de espírito, ânimo e felicidade.
Este mês de Junho, prestes a findar, saldou-se por ser dos mais regulares do ano no que concerne a corridas. Das 5 corridas semanais que se costumam fazer em situação normal apenas se falhou uma. Excelente para os tempos que correm!
Mas que não se penso que este esqueleto, milagrosamente, desempenou, muito longe disso! Fruto de muita teimosia e muita calma lá se conseguiu toda esta regularidade.
Hoje foi um dia especial: quando ouvimos dar as 7 badaladas no sino da igreja. Soubemos, sem sequer necessitar de consultar o GPS, que tínhamos um hora de corrida em cima do pêlo pois tínhamos arrancado com a primeira baldada das 6, para fugir ao calor.
Uma horinha de corrida, algo tão insignificante em situação normal mas tão gratificante, uma meta que há meses não era atingida.
Foi por isso que o final do treino foi comemorado efusivamente (depois de verificarmos se a rua estava deserta, porque já tenho fama de maluco que chegue e sobre!...).
Saíbamos que deveríamos ter para aí uma hora e cinco de corrida (depois verificando o GPS, confirmámos 1:05:47) e isso só podia ser motivo de festa!
Esta é também a magia da corrida: numa altura pode-se estar a festejar um treino de uma hora como se fosse uma “longão” (adoro este termo dos corredores brasileiros!) de duas horas e meia ou três horas.
Não sabemos o que nos reserva o mês de Julho, não sabemos o que este esqueleto gripado pode dar / aguentar, mas hoje fomos felizes sim senhor e a vida (pelo menos no nosso caso) é para ser levada um dia de cada vez!

Texto dedicado à Isa e ao JoãoLima e eles sabem porquê!

10 comentários:

  1. Grande Jorge, és um herói!!!

    Fiquei muito feliz com este teu treino e por saber o que representa.
    Tens uma força inquebrável!

    Força para um Julho que te dê tanta satisfação como o treino de hoje

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  2. Obrigado João.
    Já tinha ouvido falar de um tal João Pequeno não conhecia era o João Exagerado!
    (he he he he)

    Não sei se tenho uma força inquebrável mas tenho, a certeza, de ter um esqueleto quase todo “quebrado”!

    Forte abraço.

    ResponderEliminar
  3. Boa Jorge,

    Vem-me há memória aquela fase lapidar do Dr. Van Aaken: "A imobilidade até destrói um tanque".
    Daí a minha convicção de que mesmo quem só pode fazer 1 km de corrida deve procurar continuar a fazê-lo pois se não o fizer vai cada vez ficar com menor mobilidade.
    Abraço,

    Mário

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Professor Mário Machado!
      Sim a opção é sempre ir fazendo alguma parar é que nunca!

      Eliminar
  4. Fico muito contente por si, Jorge. Muita força e que esse "esqueleto" em Julho faça no minimo o mesmo que em Junho (nas melhores condições possiveis).
    E quem sabe dentro de algum tempo de volta a uma prova.
    Abraço e boas corridas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado amigo Carlos Cardoso.
      Sim pode ser que eu volte a uma prova mas o que, presentemente, me dá mais prazer é simplesmente ir correndo!...

      Eliminar
  5. Amigo Jorge, é quando "se passa por elas" que aprendemos a dar realmente valor às "pequenas" metas! Sem perfeitamente qual o seu sentimento e ainda ontem em Peniche o vivi!

    Força!... Muita...

    ResponderEliminar
  6. Muito feliz pelo seu regresso à "noite magica de Peniche!
    Um dia ainda gostava de lá voltar.
    Obrigado por tudo.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Muita força para este mês de Julho. E que dentro dos possíveis seja um mês se possivel igual ao Junho. O que interessa é nunca parar a máquina :)

    Um beijinho e muita força :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo isso: nunca parar.
      Um beijinho Marta.

      Eliminar