terça-feira, 18 de abril de 2017

HÁ 30 ANOS AS 12 HORAS MAIS FELIZES DA MINHA VIDA!

Muitos de nós terão certamente gravado na memória aquele que foi o dia mais feliz das suas vidas (com excepção daqueles para quem o simples facto de viver, ou melhor sobreviver, é um fardo tão pesado e trágico que não há espaço para memórias de dias felizes mas isso é outro assunto que entra nas desigualdades desde mundo tão injusto e cruel).
Pois para além de ter bem viva na minha memória o dia mais feliz da minha vida tenho igualmente nela gravada aquelas que foram as mais felizes e mágicas 12 horas desta minha existência de quase 57 anos!
Faz precisamente 30 anos que vivi as 12 horas mais felizes da minha vida ao participar na segunda edição da ultra maratona 12 horas de Vila Real de Santo António.
Essa felicidade explica-se em muito poucas linhas: no “curto” intervalo de 12 horas tornei-me um dos pioneiros da ultra maratona em Portugal, ultrapassei a marca dos 100 quilómetros, tendo corrido 101,650 quilómetros, o que me levaria ao quinto lugar da classificação, eu um modesto corredor de pelotão que acabava as provas lá pelo segundo terço dos atletas chegados!
Quem quiser saber mais sobre essa segunda edição pode clicar aqui, pois o João Lima no seu blogue descreveu todas as edições dessa prova e no relato da segunda edição teve a amabilidade de focar um pouco mais pormenorizadamente a minha participação.
Este texto foi publicado automaticamente às 9 horas do dia 18 de Abril de 2017 precisamente na hora a que se deu a partida das 12 horas há 30 anos.
Na altura que este texto é publicado encontro-me algures no Ribatejo a correr justamente uma jornada comemorativa da minha participação nas 12 horas de Vila Real de Santo António e da passagem dos 30 anos. Dependendo do sucesso desta minha jornada darei relato dela aqui futuramente.
Este texto é dedicado à memória da malograda Analice Silva que tragicamente nos deixou sem conseguir ver chegados os 30 anos passados sobre a sua brilhante participação na prova.
Estas linhas são igualmente dedicadas a três grandes amigos que foram a chave do meu sucesso em Vila Real de Santo António: Egas Branco, Mário Machado, e António Matias (vencedor da primeira e segunda edições da prova).

12ª DIMENSÃO

Já cai a frescura, a doce frescura, do
princípio da noite.
Vila Real de Santo António transforma­-
se em terra de contos de fadas.
Há Musas, Sereias, Poetas, em todas as
esquinas.
Já não piso o negro e duro asfalto.
Flutuo sobre um manto de linho coberto
de rosas.
Corro para ti, corro por ti, meu amor.
Estou mais livre, mais selvagem, mais
puro.
Corro, corro, corro, sinto-me um cavalo
á solta na pradaria.
Estou no limiar do êxtase
Estou à beira de transformar um sonho.
Estou feliz, feliz, tão feliz!
Estou a chegar à 12ª dimensão!

Jorge Branco, Abril de 1987

8 comentários:

  1. Muitos parabéns por esse feito MONUMENTAL!!!

    Uma abraço

    ResponderEliminar
  2. Estou profundamente emocionado com isto (estas coisas mexem comigo. Tu és um exemplo para mim da forma como encaras este nosso desporto. Força Jorge!!!
    Grande abraço

    P.S. Estou ansiosamente a aguardar por noticias e pelo relato.
    P.S.2 - então era esta a "coisa"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Perneta! Agora já sabes o que era a "coisa"! Forte Abraço.

      Eliminar
  3. Jorge, foste um valente!!!
    Parabéns e obrigada pelo exemplo!

    ResponderEliminar
  4. Muitos parabéns pela celebração da data!
    E que grande feito na terça-feira! Fantástico Jorge! Ficámos muito contentes por ti!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Isa Beijinho para ti e abraço para o Vitor.

      Eliminar